15/06/2013

Sem vaidade

Todos queriam amor próprio
mas o buscavam no próximo
Todos queriam amor verdadeiro
sem saber que o amor é passageiro
Todos buscavam um espelho
Pois se viam distantes alheios
Separados de tudo e de todos
ao mesmo tempo junto aos poucos
distorcendo a realidade morta
dissolvendo a felicidade a volta
dissuadindo a beleza de outrora
devorando a esperança agora
trocando o que esta pelo que será
roubando a luz da lua que não voltará
sozinho no escuro da tarde ensolarada
no escuro sozinho na multidão desesperada
clamando por verdade, bondade e saudade
clamando pelo sol, pela luz e pelo brilho
clamando por miséria, pela plebe ineria
chorrando pela derrota de si próprio
chorrando pela vitoria do irrisório
Sorrindo por sorrir, chorando por chorar
sem motivo sem vontade
sem medo sem vaidade.