25/08/2010

Sem

Sem criatividade... [Não sei onde foi]
sem tempo... [Eu não tenho feito nada]
sem saco... [tenho tido muito pouco ultimamente]
sem vontade... [Com muitos sonhos a serem realizados]
sem nada... [Tenho tudo que preciso]

20/08/2010

Rhapsody of fire

The Sword of brotherhood

We are soldiers of darkness
When you find us, will too late.

18/08/2010

Think about.

Sem pensar muito, corro contra o tempo...
corro desesperadamente em direção a algo que tenho certeza de sua não existência
motivos são irrelevantes afinal de que me vale eles se nenhum seria valido
se não para mim para outro, não me colocando nem mais alto nem mais baixo
mais uma vez me encontro perdido
ouvindo um musica sem titulo
ansiando por uma resposta
que venha dos céus
ansiando por aquele mundo utópico
que no final lutamos tanto por isso, quando nós sempre soubemos o caminho
não o mais curto ou o caminho certo, e também não que não possa ser os dois
mas o único caminho.

Random imagem [4]



13/08/2010

Secrets.

Tell me about your feelings...
if you don't say anything, and just keep look at me
I won't know what you wish
So, trust me and tell me your secrets.

12/08/2010

Sem nexo, sem graça.

Voltando por um caminho de chão batido
meio dia o sol queimava as partes que a roupa não cobria
ate porque pouca roupa tinha, não so por causa do calor mais da falta em si.
falta não apenas de vestimentas mais também de calçados, com os pés já calejados.
Mas sem espaço para dores de queimaduras e de calos, a fome e cede eram muito maiores
Nem se via direito a cor da pele pois, ja sujo de areia, e de brincadeiras de mau gosto, na saída da escola, e por uma boa parte do caminho.

Ao chegar em casa ainda havia de enfrentar uma caminhada em busca de agua e pão, sem contar as surras e maus tratos do pai e do irmão mais velho, bêbados e ociosos.

Em uma de suas caminhadas, ja zonzo de tanto fome, parou e se sentou para descansar perto de uma pedra.
ja meio sonolento, pois ficara ate tarde cuidando dos ferimentos feitos por seu pai em sua mãe.

Ao pescar umas três vezes os olhos, começou a ouvir alguém falando, uma voz que vinha de sua direita, ao olhar não via nada além de uma pedra, balançou a cabeça como se soube-se que de cansado ja ouvia coisas, e por mais uma vez uma voz veio a lhe falar:

-- Porque continua?

Olhará dinovo e nada via, então se focou na pedra, e sem acreditar dela surgiu olhos e boca, e voltou a repetir:

-- Porque continua?

Esfregou os olhos, como se não acreditasse ainda, mas aquela imagem não desaparecia, então resolveu responder

-- Como assim? continuo o que?
-- Todos os dias vejo-te andando por esta rua, todo sujo, com fome, sede e quando chegas em casa ainda tem de aguentar teu pai e irmão, bêbados. porque continua vivendo deste jeito?
-- É porque eu não sou uma pedra.

11/08/2010

Random imagem [1]

Little things

Sometimes i think about wishes
I guess... no I know its endless
no matter how many times you get what you wish
you ever want more, ever wish more

O tempo de felicidade entre um desejo e outro é mínimo

maybe it's the life, maybe it's the end of world.

I don't care. I just wish.

08/08/2010

Totalmente excelente.

Produzido pela Madhouse (Death note, Black Lagoon, Chobits, Entre outros clássicos).

07/08/2010

Shiki

Acabo de ver o 3º Episódio, e a impressão que ficou:
Não é apenas mais um anime de terror, tem um grande toque de suspense, com personagens de personalidade clichês como no caso de:

Natsuno


Rude, frio, egoísta... Etc...E que pelo visto é o personagem principal.
Muito bem escolhido por sinal, não lembro do ultimo anime que eu vi que o personagem principal era deste tipo.

Toshio: O Medico fodão que cuida de todos os doentes nas vila.
Senshin: O monge, que mais parece com um "presidente" da vila, que tem seu passado obscuro.

E ai esta composto o quadro de personagens relevantes, isso é do lado "Bonzinho" da Historia.
Acho que foi justamente isso que me chamou atenção neste anime, Suspense, Terror, um bom enredo, um desenrolar de historia fascinante.

Shiki


Gênero: Terror, Mistério, Sobrenatural

Estou pegando os Episódios no Ryoran Fansub

\m/

Se o Funk Fosso culto.

06/08/2010

Rainbow - Nisha Rokubou no Shichinin

Até a metade a série foi impecável, perfeito mesmo, tudo pare ser um excelente anime. Mas
acabei por me decepcionar muito com Rainbow, a partir do episódio 14\15 O Anime sai totalmente do rumo, a historia mudou drasticamente, pensei eu que era apenas uma nova saga, mas não foi isso em si que me desmotivou, mas sim o fato de que os motivos para violência no anime não existem mais. Os personagens apanham por simples divertimento da produtora que nem ao menos se presta a dar uma boa razão para tanto violência

Os personagens principais saíram da prisão, o personagem que estava em primeiro plano morreu junto com o final da "saga", ta certo que os 6 apareciam na opening mas na historia mesmo o foco era um único personagem, este que morreu.
Já não se tem foco em único lugar\núcleo\personagem
Transformaram um dos seis para ficar igual ao personagem que morreu, justamente para tampar o buraco que ele deixou.

Apesar de dois dos seus personagens serem muito bons, e eram os que me motivavam a continuar a assistir a séria, já não me da mais vontade de prosseguir com isso. Por tanto, com dor no coração me despeço por aqui deste anime.


Ps: Não sou anti-violência em animes, Mas violência sem motivo algum, realmente não tem a mínima graça....


05/08/2010

Flash Game

Mais um ótimo jogo, da grande Armor Games


Faça o trabalho de Deus neste viciante jogo
Misturando os elementos, e por consequência criando novos.



[Praticamente um alquimista]


O Ed Aprova este jogo.

04/08/2010

Leitura

"Existe alguém mais belo do que eu?"
Narciso perguntava ao espelho.
Sem resposta prosseguia
"Como eu imaginei, claro que não!"

Um dia ao se aventurar em uma floresta, acabou se perdendo e por três dias e três noites ficou vagando, apenas com um cantil de agua, pois nem um lago havia por perto.
Angustiado, e sem saber o que fazer apenas um pensamento passava em sua cabeça

"Não me importo com fome ou dor, Minha beleza é incomparável, somente preciso de algo que a reflita para que eu posso admirar"

Após o termino da terceira noite encontrou uma placa que indicava o caminho de uma estrada, nela estava escrito "Libertação"
Então resolveu seguir, andando pelo caminho havia outro placa que apontava para frente dizendo "Luz".
Mais algum tempo de caminhada a estrada começou a ficar mais escura pois as arvores tapavam a luz do sol.

"Parece que esta estrada esta me enganado, dizia libertação e luz, e tudo o que eu vejo são arvores e a escuridão. Mas já que eu vim ate aqui, vou seguir em frente"

continuou sua caminhada, a floresta ficou mais densa assim como a escuridão, já não existia mais estrada ali, os sons da floresta começaram a ficar mais alto.
Um medo súbito tomou conto de Narciso, seu coração disparou, e sem que ele percebesse já estava correndo em linha reta, seu único pensamento era

"Não importa o que aconteça, eu sou muito bonito para morrer, se um animal selvagem vier me atacar, minha beleza pode ser destruída, tenho que cuidar o máximo possível para que isso não aconteça"

Na angustia do medo e cegueira da escuridão, tropeçou em uma raiz de arvore e foi de cara ao chão, sem hesitar pensou

"Meu lindo rosto, preciso vê-lo, preciso saber se esta danificado, Minha beleza deve ter ido por agua abaixo"

Se levantou e voltou a correr desesperadamente.
Ate que então feixes de luz começaram a iluminar seu caminho, e tanto a escuridão como a floresta começaram a ficar menos densas, logo a estrada voltou a aparecer, mas Narciso continuou a correr, ignorando uma placa no caminho que dizia "Fim do silencio".
Como estava correndo não demorou muito ate enxergar uma cabana, assim que avistou disse

"La!, deve ter algum espelho, ou algo que posso refletir minha beleza"

Ao chegar na pequena cabana, ao lado da porta havia uma placa com o o titulo de "A Verdade" e logo abaixo um texto, ansioso para ver seu rosto, nem olhou para a placa, entrando rapidamente na cabana, que estava vazia, com apenas um cômodo, mais uma vez seu coração voltou a bater forte, suando frio, com um olhar de espanto, parado onde estava, em estado de choque, olhando fixamente, em sua frente um único espelho que refletia sua imagem.

Um grito desesperado foi ouvido pela floresta toda, tão alto que nem os mais distantes animais deixaram de ouvir, o que mais parecia um urro de algum animal grande e selvagem.

O espelho refletindo nada muito diferente de uma criatura urrando desesperadamente.
Sim aquele rosto que uma dia foi o mais belo entre todos, ali refletido em um espelho nada melhor descrito como uma criatura horrenda.

Em desespero Narciso não acreditando no que via, partiu para cima do espelho como um animal selvagem, quebrando em alguns pedaço. Em um lapso pegou um dos pedaços do espelho que ficara pontiagudo, gritando

"Se eu não for o mais belo, de nada vale minha existência"

Cravando em seu peito, se olhando nos olhos pelos cacos de espelho no chão, viu aquele criatura horrenda lentamente parar de respirar.

Na placa ao lado da porta da pequena cabana de titulo "A Verdade" continha o seguinte texto

"Você passou por uma densa escuridão, agora você pode ser livre e encarar o seu maior medo. Encarar o seu "eu" verdadeiro".

02/08/2010

Leitura

Em um vazio eterno, estava eu a procurar algo que nem ao menos sabia de sua existência, mas mesmo assim procurava ansiosamente algo que preenche-se este vazio.
Na época gostava muito de desenhar, mas pouco sabia sobre o assunto
logo resolvi me aprofundar, li muito material didático, volta e meia estava eu com uma folha em branco, lápis, borracha e muitas idéias.
No inicio eram copias fajutas que foram se aperfeiçoando com o tempo, quase não se notava a diferença entre a original e a feita por mim, modéstia a parte, meus traços sempre foram nobres e delicados.
Mas aquele vazio ainda persistia, de nada adiantava a melhor técnica se não preenchia aquele espaço.

Algumas idéias vinham ocupando minha mente enquanto trabalhava
Os primeiros traços do que viria ser uma obra de arte começara a surgir, começou a surgir um rosto, com uma expressão calma, e tranquila, sem muita personalidade, em seguida veio o corpo de estatura mediana, e físico padrão. Algumas semanas depois, pronto, estava completo, tão perfeito. Imensurável era minha alegria ao ver aquelas linhas que fiz se tornarem algo quase que vivo, e aquele vazio ja não existia mais.
Estava tão pleno que nem um nome para o desenho consegui dar, mas,
bastou apenas um olhar mais clinico, para que tudo fosse a baixo, e minha alegria se torna-se frustração. Olhando com atenção percebi que aqueles traços ja haviam feito parte do meu cotidiano.

Amassei a folha e joguei-a no lixo.

No final do Dia ao voltar para casa, reparei a folha no lixo, e pensei melhor.
desamassei com cuidado para não rasgar, e fixei no mural na frente de minha cama, com o intuito de descobrir onde eu ja havia visto aquele rosto. Uma pausa no meu hobby começaria, não voltaria a desenhar ate descobrir.

Todos os dias ao me deitar ficava olhando, aqueles olhos que me passavam tranquilidade.
Em pouco tempo comecei a reparar mais, nos detalhes que eu tinha feito naquele desenho,
como por exemplo os lábios que tanto me chamava atenção, e em um lapso de sono, me vejo beijando a pessoa que desenhei, abro os olhos assustado pensando "O que foi isso?"
Me levanto da cama indo em direção ao desenho me perguntando "quem é você?" encarando olho no olho, em seguida baixando a cabeça balançando dizendo "Estou ficando louco!" então volto a dormir.

Me pegava muitas vezes ao dia pensando no desenho que tinha feito, não no desenho em si, mas sim na pessoa que ali estava desenhada, não ficava um instante sem pensar no desenho ate chegar em casa e poder olhar, pendurado na parede, a pessoa ali desenhada.

Em outro noite, houve um sonho, em que eu pegava na mão desta pessoa em questão, e andávamos pelo parque, em seguida nos beijávamos, como se fôssemos um lindo casal feliz, acordei então suando gelado, e olhando direto para o desenho, comecei a ficar com medo, mas ao mesmo tempo olhar aquela pessoa desenhada me acalmava, e não saia de minha cabeça, e por mais que eu não deseja-se passou pela minha cabeça "Eu estou apaixonado por um desenho" mas logo cheguei a outra conclusão "Este desenho com certeza é de alguém que eu ja vi, eu me apaixonei por esta pessoa, por isso desenhei"

Minha vontade de descobrir quem era a pessoa desenhada so aumentava assim como meu amor quando olhava o desenho na parede, e os sonhos ficaram mais frequentes.
"Um Dia vou acha essa pessoa e vou me casar" Era este meu pensamento

Mais uma idéia se passava pela minha cabeça "Irei fazer copias do desenho, e colocar pela cidade a procura dessa pessoa" Foi o que fiz, ao chegar em casa cansado de colar o desenho com meu numero para contato, pela cidade, não fazia 10 minutos que tinha chegado em casa o telefone tocou, eu pensei "não pode ser, tão rápido assim"

"Alô?"
"Sim?"
"Eu estou com um desenho que tem o seu numero, eu vi essa pessoa, entrando em um prédio."
neste momento meu coração disparou
"Onde? qual prédio?"
"O prédio em frente ao meu, fica na rua José vieira dos santos numero 3721"
Fiquei em estado de choque, pois este era o prédio onde eu morava
"Ouvi Senhor? quer que eu repita?"
"Senhor?"
"Ouvi sim, muito obrigado!"
Desliguei o telefone, me recompus, peguei as chaves, e desci para o saguão do prédio com o desenho em mãos. O porteiro do prédio estava onde deveria estar, fui logo perguntando e mostrando o desenho
"Você viu esta pessoa entrando no prédio? sabe se mora aqui? em qual apartamento?"
Ele fez uma cara de quem não entendia o porque de pergunta, e simplesmente apontou para o espelho, eu olhei e sem entender falei
"Eu estou falando serio, preciso encontrar esta pessoa você a viu?"
Então ele pegou o desenho de minhas mãos apontou para o espelho mais uma vez, e virou o desenho também para o espelho.
E la estava refletido Eu e o meu desenho.
"Prazer Me chamo Narciso!"